fbpx

O que é a paciência e como ter essa virtude que beneficia as relações?

O que é a paciência e como ter essa virtude que beneficia as relações

A paciência é uma virtude que traz muitos benefícios, em especial, aos nossos relacionamentos. Isso acontece porque melhora significativamente a qualidade de nossa vida emocional, que é um elemento fundamental para manter as relações saudáveis.

Com a paciência, você consegue esperar a decisão do outro para depois tomar a sua, além de manter o bom humor em eventuais indisposições. Por isso, ter essa virtude é importante não só para casais. Quando falo de paciência nas relações, penso em filhos, familiares, amigos, conhecidos e colegas de trabalho. Sem a paciência para compreender que cada um tem suas imperfeições e diferenças, é muito difícil que se respeite o próximo.

Costumo dizer nas palestras que a paciência beira a tolerância no dia a dia. Um exemplo disso é quando o seu marido deixa a toalha molhada na cama. Simples acontecimentos como esse não podem desestabilizar uma relação, principalmente com as pessoas que passam muitas horas com a gente. A paciência ajuda a exercitar o diálogo nesses casos.

Além disso, a pessoa paciente sabe se comunicar melhor porque pensa nos detalhes antes de falar e agir, pois consegue manter o seu autocontrole. Ela, inclusive, pode analisar problemas e encontrar respostas precisas, tendo maior facilidade para trabalhos e questões minuciosas da vida.

 

Melhore os seus relacionamentos

 

Melhore os seus relacionamentos

A paciência é necessária em todos os momentos da vida, principalmente ao lidar com os filhos, marido, amigos e, também, no aspecto profissional. Quando adquirimos a paciência, compreendemos que não podemos controlar como as pessoas agem, principalmente quando diferem do nosso posicionamento e faz com que as coisas não saiam como queremos.

É uma virtude associada à manutenção do foco no próximo, ou seja, nas pessoas com quem nos relacionamos. Isso acontece porque a paciência nos ajuda a pensar melhor em cada situação, a tomar melhores decisões, além de apoiar outros dois conceitos: a empatia e a tolerância.

Como diz a música do cantor e compositor Lenine, quanto mais o mundo e o tempo passam, mas nós precisamos de paciência para ampliar bonitos sentimentos. Ela é uma ferramenta excelente para que você consiga desenvolver amor e cumplicidade recíproca com as pessoas que estão em sua volta.

 

Como ter paciência?

 

Como ter paciência?

No dia a dia, podemos exercitar a paciência a partir de quatro dicas infalíveis, que vai fazer toda a diferença na construção de sua vida e deixar seus relacionamentos mais saudáveis.

  • Tenha menos expectativa em relação ao próximo

Não espere que outro pense como você porque cada um de nós temos as nossas particularidades. Por isso, não acredite que alguém vai agir de acordo com os seus valores. Lembre-se sempre que você só pode gerar expectativas em relação a si próprio. Somente você conhece o seu “eu”, o que há de mais íntimo dentro de você.

  • Não seja agressivo

Você gosta de que alguém é agressivo com você? Tenho certeza que não! Ninguém reage positivamente a gritos, ofensas e tapas. Caso você aja assim, suas relações vão tender a se tornar tóxicas. Por isso, busque falar de maneira mais amigável com as pessoas que você ama. Não entre em conflito com que está ao seu redor. Isso me lembra a frase da Vanessa Silva, que diz “prefira o debate, não vá para o embate e evite, de qualquer forma, o combate”. É uma lição de relacionamento!

  • Aprenda a respirar

É normal que a vida apresente situações opostas as que você gostaria de presenciar. É normal que um amigo, um familiar ou o seu amor não concorde com alguma opinião sua. O que não pode ser normal é a perda do autocontrole. Quando sentir raiva, simplesmente respire. Isso vai lhe proporcionar mais tempo para baixar o nível de adrenalina. Além disso, você ainda vai ganhar um tempinho para pensar com calma e de maneira serena como contornar o problema.

  • Fale bastante!

Diga sempre como você se sente em determinada situação. É importante falar quando está de acordo, mas também em desacordo. Externalizar nossos pensamentos de maneira educada e clara vai evitar problemas futuros. Lembre-se sempre que o óbvio precisa ser dito!

Deixe uma resposta